Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Áudios

Pensamentos Livres
Data: 14/10/2007
Créditos:
na voz da autora.


Pensamento: Número seis

A vontade de matar algo não atordoa: Eu mato... depois faço a volta no último “ó”; antes passo por um corredor escuro onde abro portas com ésses onde vejo o sarcasmo como sensato ao retirar dele algo simpático. Na quarta porta? A dor selvagem, passa. Convivo bem sozinha. No final? Tudo termina na solidão. 

*

Pensamento: Uroboros

Chato não é um mísero piolho passeando no corpo humano, depois que se anda em algum pangaré. Miserável é viver “A” miséria. Todo miserável é digno de compaixão? Sou capaz de fazer amizade com um piolho. O que teria um parasita sugador de bom? Não tem asas! 

- Ôoo... sem asas, tudo que o que não tem asa te chateia?!

Passarinho, bule, borboleta, morcego, anjo, teco-teco... eu tenho uma asa! Tenho, e quando não tenho desenho, (por sinal hoje está bem quebrada mas, insisto que tenho).

O chato verdadeiro seria todo aquele que pensa que por ter provado um ou outro prato diferente, imagina que os gostos, os perfumes e os caminhos serão sempre iguais?

O não saber é um saco sem fundo, incomoda em parte até ser devidamente retirado... e estará sempre presente.

*

Pensamento: Mosca na sopa

Qualquer forma de “exorcismo” nunca será totalmente profícua, tudo o que se espanta um dia há de voltar a assombrar as trevas. 

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 10.X.07
arte de origem desconhecida

 

Enviado por Rosangela Aliberti em 10/10/2007



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras