Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos



[O Bizarro mora no fundo do mar] 

Releio um poema,
passaram-se trezes anos...
num piscar de olhos
como o tempo
pode escorregar
...tão rápido?

(tendo nas mãos uma garrafa)

Releio teu poema, mal lapidado
tendo a certeza que
a Poesia em ti
nau
  fra
    gou
há trezes anos atrás
teus versos
enfeitaram um coração.
 
Sonhos sobrevivem,
não fazem parte de um tempo perdido
quando se vive realmente algum Grande
amor na vida.

Releio um poema...
não restou
nem um pingo
de cheiro
de flor
naqueles lençóis e travesseiros.

- O que fazer com a mágoa que sobrou?

Lança-se uma velha garrafa ao mar
(“e la nave va”)
com todas as lágrimas que não ficaram:
- Um vidro se partiu ao meio
nos quatro cantos
na rocha
nas ondas do oceano

(só sobraram cacos)

Êta eco
êta... p o r r a d a


Rosangela_Aliberti
São Paulo, 11.XII.08
art by Edmund

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 12/12/2008
Alterado em 22/01/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras