Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Reza Brava
Rosangela_Aliberti

Existe uma padroeira para os que ainda ignoram...? Deve existir: Pela Madona! Deve existir... na demarcação dos territórios...

Alguma Santa contra os artíficios da santa dona Ignorância.
Por que será que constroem sítios bonitos, será que encontrei o significado da palavra pecado ao ler frases, poemas e trechos pendurados nos varais sem pesquisa... será que alguns apreciam frutas exótica, nunca provaram seu valor? Às vezes procuramos cambuCis e achamos somente cambuÇis.

Será que uma pessoa tem noção que uma mensagem mal repassada pode confundir milhares de pessoas? Todos estamos no mesmo barco, aprendendo a remar, será que todo mundo têm noção de que frases, trechos de poemas estão sendo traduzidas para outras línguas e as falsas informações... correm rápido, atestando que o nível de compreensão atual no que se refere a pesquisa (textos) do povo brasileiro? Serão pouco cuidadosos? desatenciosos? inocentes demais...

Bem-aventurados os que têm boa vontade de repassar a verdade, de explicar o que é a verdade, um dia estes educadores estarão mais velhos, arrastando a "sábia" carcaça sozinha até alguma biblioteca no além para aprender mais porém em paz sem... dívidas.

Bem-aventurados aqueles que tem paciência para fazer correções nas horas vagas, funcionando como um sistema de diques nas pontes.

Bem-aventurados os que contem processos de incontinências, a inconsciência é que faz pipi no lugar errado.

E bem-aventurados os iluminadores dos postes, suas mãos favorecem a margem da ligação das Esperanças!

São Paulo, 06.V.06
Fotógrafo de origem desconhecida
de Carlos Drummond de Andrade


Vide: IMPERDÍVEL!!!
Eu, e a etiqueta por Carlos Drummond de Andrade
http://www.rosangelaliberti.recantodasletras.com.br/blog.php?idb=6714

___________________________________

OBS: ...Passei o resto da tarde procurando a Reverência do Destino,
e DESEJOS por enquanto não encontrei nada por lá em nenhuma
Livraria (Saraiva, Nobel, Martins Fontes) ou Bibliotecas na cidade...
(Sampa, 09.V.06). E continuarei efetuando as PESQUISAS.

ALMAS PERFUMADAS ("Tem gente que tem cheiro de passarinho
quando canta...") de Ana Cláudia Saldanha Jácomo
www.releituras.com/ne_acdjacomo_almas.asp

CONSELHOS DE UM VELHO APAIXONADO ("Quando encontrar
alguém e esse alguém...") - Não consta em Prosa e Contos CDA - Nova Aguilar


CORTAR O TEMPO (“Cortar o Tempo”

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui
pra diante vai ser diferente"

No site mencionado consta a poesia transcrita acima entre aspas
http://www.academianovak.com.br/comunidade/modules.php?name=News&file=article&sid=233

- Não constam em: CDA - Poesia Completa Editora Nova Aguilar
& Prosas e Contos CDA - Editora Nova Aguilar

DESEJO À VOCÊ/ DESEJOS / SÍNTESE DE FELICIDADE
 ("Fruto do mato, Cheiro de jardim/ namoro no portão, domingo sem chuva...”) - Não consta em Poesia Completa CDA - Nova Aguilar

-
FALAR É FÁCIL/REVERÊNCIA AO DESTINO ("Falar é completamente
fácil, quando se Tem palavras...”) - Não consta em Poesia Completa CDA - Nova Aguilar

Não confundir com outro repasse incorreto:

(Vem constando como sendo de Cecília Meireles, mas de que livro?
...Você leu no recorte do Jornal de onde?) 

NEM TUDO É FÁCIL...  www.hpbysandra.com.br/nem_tudo_e_facil.html

Perdoem-me meus amigos ando extremamente indignada com a
proliferação de 'lindos sites e blogs' sem constar a fonte da autoria
de possíveis autores conhecidos (estes textos porventura não
estariam mais para algum infelizmente ainda desconhecido pela grande maioria? Será que no momento estou tão equivocada, assim (???)

Se alguém tiver a fonte Bibliográfica real, por favor me mande a origem,
pode me enviar por e-mail para que estes poemas sejam repassados
com a informação para os devidos créditos.

Após pesquisa em São Paulo, 10 de maio 2006:

Nem tudo é fácil... ( créditos para: GLÁCIA DAIBERT )
www.crlemberg.com/poeta/glacia/nemtudoefacil.htm
www.recantodasletras.com.br/autores/anachuchu

*

- RECOMEÇAR e/ou FAXINA NA ALMA ("Não importa onde você parou...") de Paulo Roberto Gaefke
www.academianovak.com.br/comunidade/modules.php?name=News&file=article&sid=54

Por favor não confundam RECEITA DE ANO NOVO DE CARLOS
DRUMMOND DE ANDRADE (“Para você ganhar belíssimo Ano Novo,
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz...) confira em
 
www.releituras.com/drummond_dezembro.asp sendo que

FELIZ OLHAR NOVO ("O grande barato da vida é olhar para trás e
sentir orgulho da sua história...") = Não consta em Poesia Completa - Nova Aguilar

VIVER NÃO DÓI ("Definitivo, como tudo o que é simples...")
tem palavras...") poema enxertado, vide: http://www.rosangelaliberti.recantodasletras.com.br/blog.php?idb=6714


TER OU NÃO TER NAMORADO, EIS A QUESTÃO (“Quem não tem
namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo...”)
www.secrel.com.br/jpoesia/autoria.html#namorado

TORCIDA ("Mesmo antes de nascer, já tinha alguém torcendo
por você...")
www.biranet.com.br/recall/archives/2003_12.php

Quanto a Drummond (indicações de sites seguros):
http://memoriaviva.digi.com.br/drummond/mais02.htm 

www.algumapoesia.com.br/drummond.htm 

http://www.secrel.com.br/jpoesia/ 

http://pt.wikiquote.org/wiki/Carlos_Drummond_de_Andrade (frases)

*

Oração da Tarde

Pelas almas,
pelas almas do Purgatório,
rezai a Salve Rainha
Padre Nosso, Ave-Maria,
as  rezas que decorastes
no tempinho de criança.

Pelas almas,
pelas almas do Purgatório,
atirai vossas migalhas
sobre o vazio da Praça.
têm fome de Deus as almas
e enquanto o não vão comendo
se consolam com esses restos.

Pelas almas
pelas almas do Purgatório,
desapertai vossas bolsas,
na sacola esfarrapada
quando bate à vossa porta
em nome da eternidade
o aleijado irmão-das-almas.

Pelas pobrinhas das almas.

Carlos Drummond de Andrade
In: Carlos Drummond de Andrade – Poesia Completa
Editora Nova Aguilar
Boitempo

*

Romaria 

Os romeiros sobem a ladeira
cheia de espinhos, cheia de pedras,
sobem a ladeira que leva a Deus
e vão deixando culpas no caminho.

Os sinos tocam, chamam os romeiros:
Vinde lavar vossos pecados.
Já estamos, puro, sino, obrigados,
Mas trazemos flores, prendas e rezas.
 
No alto do morro chega a procissão
Um leproso de opa empunha o estandarte.
As coxas das romeiras brincam no vento.
Os homens cantam, cantam sem parar

Jesus no lenho expira magoado.
Faz tanto calor, há tanto algazarra.
Nos olhos do santo há sangue que escorre.
Ninguém não percebe, o dia é de festa.

No adro da igreja há pinga, café,
imagens, fenômenos, baralhos, cigarros
e um sol imenso que lambuza de ouro
o pó das feridas e o pó das muletas.

Meu Bom Jesus que tudo podeis,
humildemente te peço uma graça.
Sarai-me, Senhor, e não desta lepra,
do amor que eu tenho e que ninguém me tem.

Senhor, meu amo, dai-me dinheiro,
muito dinheiro, para eu comprar
aquilo que é caro mas é gostoso
e que na minha terra ninguém possui.

Jesus meu Deus pregado na Cruz,
me dá coragem pra eu matar
um que me amola de dia e de noite
e diz gracinhas a minha mulher.

Jesus, Jesus piedade de mim.
Ladrão eu sou mas não sou ruim não.
Por que me perseguem não posso dizer.
não quero ser preso, Jesus ó meu santo.

Os romeiros pedem com os olhos,
pedem com a boca, pedem com as mãos.
Jesus, já cansado de tanto pedido
dorme sonhando com outra humanidade. 

Carlos Drummond de Andrade
In: Carlos Drummond de Andrade – Poesia Completa
Editora Nova Aguilar
Alguma Poesia
p. 37-8

*

Prece do Brasileiro

Meu Deus, só me lembro de vós para pedir,
mas de qualquer modo sempre é uma lembrança.
Desculpai vosso filho, que se veste
de humildade e esperança
e vos suplica: Olhai para o Nordeste
onde há fome, Senhor, e desespero
rodando nas estradas
entre esqueletos de animais.

Em Iguatu, Parambu, Baturité,
Tauá
(vogais tão fortes não chegam até vós?)
vede as espectrais
procissões de braços estendidos,
assaltos, sobressaltos, armazéns
arrombados e – o que é pior – não tinham nada.
Fazei, Senhor, chover a chuva boa,
aquela que, florindo e reflorindo, soa
qual cantata de Bach em vossa glória
e dá vida ao boi, ao bode, à erva seca,
ao pobre sertanejo destruído
no que tem de mais doce e mais cruel:
a terra estorricada sempre amada.

Fazei chover, Senhor, e já! numa certeira
ordem às nuvens. Ou desobedecem
a vosso mando, as revoltosas? Fosse eu Vieira
(o padre) e vos diria, malcriado,
muitas e boas... mas sou vosso fã
omisso, pecador, bem brasileiro.
Comigo é na macia, no veludo/lã
e matreiro, rogo, não
ao Senhor Deus dos Exércitos (Deus me livre)
mas ao Deus que Bandeira, com carinho
botou em verso: “meu Jesus Cristinho”.
E mudo até o tratamento: por que vós,
tão gravata-e-colarinho, tão
vossa excelência?
O você comunica muito mais
e se agora o trato de você,
ficamos perto, vamos papeando
como dois camaradas bem legais,
um, puro; o outro, aquela coisa,
quase que maldito
mas amizade é isso mesmo: salta
o vale, o muro, o abismo do infinito.
Meu querido Jesus, que é que há?
Faz sentido deixar o Ceará
sofrer em ciclo a mesma eterna pena?

E você me responde suavemente:
Escute, meu cronista e meu cristão:
essa cantiga é antiga
e de tão velha não entoa não.
Você tem a Sudene abrindo frentes
de trabalho de emergência, antes fechadas.
Tem a ONU, que manda toneladas
de pacotes à espera de haver fome.
Tudo está preparado para a cena
dolorosamente repetida
no mesmo palco. O mesmo drama, toda vida.

No entanto, você sabe,
você lê os jornais, vai ao cinema,
até um livro de vez em quando lê
se o Buzaid não criar problema:
Em Israel, minha primeira pátria
(a segunda é a Bahia)
desertos se transformam em jardins
em pomares, em fontes, em riquezas.
E não é por milagre:
obra do homem e da tecnologia.
Você, meu brasileiro,
não acha que já é tempo de aprender
e de atender àquela brava gente
fugindo à caridade de ocasião
e ao vício de esperar tudo da oração?

Jesus disse e sorriu. Fiquei calado.
Fiquei, confesso, muito encabulado,
mas pedir, pedir sempre ao bom amigo
é balda que carrego aqui comigo.
Disfarcei e sorri. Pois é, meu caro.
Vamos mudar de assunto. Eu ia lhe falar
noutro caso, mais sério, mais urgente.

Escute aqui, ó irmãozinho.
Meu coração, agora, tá no México
batendo pelos músculos de Gérson,
a unha de Tostão, a ronha de Pelé,
a cuca de Zagalo, a calma de Leão
e tudo mais que liga o meu país
e uma bola no campo e uma taça de ouro.
Dê um jeito, meu velho, e faça que essa taça
sem milagres ou com ele nos pertença
para sempre, assim seja... Do contrário
ficará a Nação tão malincônica,
tão roubada em seu sonho e seu ardor
que nem sei como feche a minha crônica.

Carlos Drummond de Andrade
In: Carlos Drummond de Andrade – Poesia Completa
Editora Nova Aguilar
Versiprosa
p. 648-0

*

Poema da Purificação

Depois de tantos combates
o anjo bom matou o anjo mau
e jogou seu corpo no rio.

As água ficaram tintas
de um sangue que não descorava
e os peixes todos morreram.

Mas uma luz que ninguém soube
dizer de onde tinha vindo
apareceu para clarear o mundo,
e outro anjo pensou a ferida
do anjo batalhador.

Carlos Drummond de Andrade
In: Carlos Drummond de Andrade – Poesia Completa
Editora Nova Aguilar
Alguma Poesia
p. 38-9

*

Procure freqüentar bibliotecas, livrarias, sebos! Não acredite piamente em todos s(a)ites e blog(ue)s  que não constem Referências Bibliográficas, desconfiem até das apostilas dos Cursinhos que não tragam bibliográfia, (pois muita pesquisa vem sendo feita via net).

Visite a Comunidade: Afinal, quem é o autor? (orkut)

 

 

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 07/05/2006
Alterado em 29/08/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras