Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Fico aqui deitada
num canto de parede
e digo aos meus botões:
- Quem manda vocês não gostarem de mim?

(Maria José Limeira)


*

Macambúzios,
sorumbáticos,
deprimidos versos:
que trova magoada é essa
que revida sonhos,
dá murros aos ventos,
usa faca de dois gumes
e, ao mesmo tempo que ri,
sabe também chorar?

(Maria José Limeira)
Junho/2010

_____________________


Pausa na luta
I

Não sei mais
o qu'é o eu lírico
não sei se bebo
água ou vinho
não sei se sonho,
é doce ou ilusão...

Não sei se me
coço ou me belisco
se vivo morto ou
desperto os vivos
...se desabo no ombro
de Deus, palavrões...

II

Se um nobre se achava
um reles coitado
quem sou eu
para lh'esclarecer
as novas leis do orgasmo?

E ao anjo que se achava
pobre de espírito?
Uma mansa jataí lhe disse:
- Levanta a fronte
sente a tua abundância
pensamentos são de vento
...mudam de lado.

rosangela_aliberti
Atibaia, 23.VI.2010

*

INSUPORTÁVEL

Feia, sem conteúdo,
sou insuportável! dramatizo tudo, 
bem pior que erva que não serve prá nada
nem quem tá habituado
c'um cigarrim do k-peta
resôrveria meus pôbremas, Made in Limoeiro.

Rosangela Aliberti
Atibaia, jan/2011

(foto: iraci.b.aliberti)

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 26/06/2010
Alterado em 02/01/2011


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras