Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


PRESENTINHOS 'DE GREGO' NO NATAL


TOMA A TUA POESIA...
a aurora e todas as estradas percorridas na tua vida...
os caminhões repletos de janelas de artigos indefinidos
...os portais, os desertos, os gemidos na varanda 

TOMA A TUA POESIA...
teus jardins desabrochando mentiras e verdades
teus traumas, teus tremores...tuas farsas, tuas lutas...
tua casa de horrores, tuas náuseas,
tuas alucinações, teus inimigos ,
teus domingos, teus amigos nos chás-da-tardes
todas tuas cartas de saudades... 

TOMA A TUA POESIA...
teus cristais, tuas miragens, tuas imagens, teus prismas...
teus delírios, teus beijos doces enroladinhos em tapetes de ipês...
...tuas perdas, tuas manhãs, tuas rãs e tuas zebras divididas sem a TV 

TOMA A TUA POESIA...
tuas estrelas, teus cometas,
um oceano de fotografias, teus gatos teus cachorros loucos
tuas fontes aparentemente exclusivas reclusas borboleteadoras 
                                                                  na tua Gênese... 

TOMA A TUA POESIA...
teu fim do mundo, teus prenúncios do apocalipse, teu sangue,
teus ossos teu ranger de dentes, teus choros,
teus vendavais, tuas corujas teus burricos, 
teus vaga-lumes teus morcegos,
tua anima e teu animus, teus relâmpagos...
teus vulcões, tuas quatro estações no ano, teus íntimos recantos...
teus votos de um feliz aniversário para O Aniversariante, 
direto de teus portos, de tuas ilhas...  de tuas buscas,
de tuas explosões, de tua Criatividade 
(‘amor com amor se paga’)
são as tuas crinas ao vento... em tuas mãos... as tuas 'granadas...' 

TOMA A TUA POESIA...
a angústia debaixo da unha em cacos, o brilho do teu próprio olhar
teu sorriso ameaçador e equilibrado debaixo do nariz dos teus lençois
teu verde Greenpeace 

TOMA A TUA POESIA...
nos sentimentos acidulados e adocicados conservados nos vidros 
guardando os reflexos dos labirintos em branco e preto 
                                                              profundamente infinitos
as catorze ondas numa prosa só, tuas espumas espalhadas pelo mundo...
os teus arco-íris... ao lado das árvores frutíferas e não frutíferas...
tuas notas quebradas nos pianos, tuas flautas, tuas conchas, teus corais,
ao som de Johann Sebastian Bach!!!
tua orquestra maravilhosa com violinos e sininhos... 

TOMA A TUA POESIA...
de forma tão imensa e intensa, teus sete-sentidos acesos...
teus poros embaralhando mistérios... que arrepiam a visão dos anjos
teu inferno queimando vivo... teu paraíso sublime nas luzes do orvalho 

TOMA A TUA POESIA...
as confissões a beira de um mar em chamas e dos abismos
nos discos arranhados na mesma faixa...teus Boleros de Ravel,
com magas soltas e antigas freiras presas numa só frase...
teus sentimentos óbvios teus morros ululantes... uivantes... teus ecos,
nas madrugadas mal dormidas nos carrosséis e nas rodas-gigantes
as belas adormecidas recém saídas dos velhos livros empoeirados 
                                                           de contos
na folhas de teus cadernos novos adquiridos enfeitados 
                                                           nos bicos de beija-flores

TOMA A TUA POESIA...
o samba-choro de Mestre Pixinguinha ‘tão Carinhoso’...
os teus fados, os teus fardos todas tuas fadas e todos os teus elfos...
teus ovnis...
teus pega-pegas de outrora... as confusões dos tempos de adolescência
os soluços secos e gotas de sal e mel escorregando nas faces das Iaras

TOMA A TUA POESIA...
bem passada, rabugenta, anêmica, 'bêbada', (ma)dura,
moderna, prematura,
lírica, repleta de romantismo... 
de hiatos, totalmente desarmada... nua e crua
com cócegas na garganta e picadas de borrachudo... mal comportada,
com o gosto do (des)gosto e tudo que tem direito bem lá dentro 
teu BIS nas asas dos querubins repletas de luas sóis e estrelas, 
tuas jacutingas jacarandás & afins

TOMA A TUA POESIA...
com o verdadeiro do sentido do pinheiro e ao invés de bolas artificiais
está cheia de regadores com água a espera de novos brotos e frutos
com apelos ao anti-consumismo o ano todinho não só na época do Natal 

TOMA A TUA POESIA...
tuas pérolas e diamantes ki_latem a fórceps
que arranca algo a mais da tua respiração surgindo de não sei de onde...(?) 

TOMA A TUA POESIA...
toma a tua poesia que vê cidades e florestas encantadas
bem que os prédios e campos podiam ser tatuados 
                                                  com mil flores psicodélicas 

TOMA A TUA POESIA...
com palavras que resumem sonhos navegando no NADA...
poesia que não passa dos risos e das gargalhadas de
                                                  senhores e senhoras Fantasmas
rondando o 'Central Park'... da inspir_ação... 


TOMA A TUA POESIA...
que derruba murros em pontas de facas afiadas, 
mas veja se me devolve algo bem teu... (e Bom)
quero os contornos de teus gritos os agitos da boca do teu coração
ao pé da letra... a flor da pele... dinamitar o mundo com 
                                                          palavras de dor e amor
- Vamos arrebentar quarteirões sem a Blockbuster??? 


TOMA A TUA POESIA...
Em nome de PEACE and LOVE hoje e sempre... 

São Paulo, 04.XII.05 

"Ninguém socorre um náufrago
sem sofrer o chicote das ondas."
( Patrícia - psicografado por 
Vera Lúcia Marinzeck)


Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 05/12/2005
Alterado em 20/12/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras