Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Áudios

TODO MUNDO NO MANTO AZULADO
Data: 12/10/2006
Créditos:
na voz da autora


TODO MUNDO NO MANTO AZULADO

Pedindo licença para entrar na rua dos bobos na casa dos intelectuais dos "doutôs" com as mãos das pás dos pedreiros 

O que pode a ver ali? O que pode haver aqui e acolá...? Entre a dor e o sorriso entre a inocência e o despudor entre o simples e o complexo entre concâvo e o convexo A Poesia dialoga com um pouco de tudo e de todos beijando o nada... unissex sem frescura acompanha os movimentos do erotismo com o olhar nu dos índios... sente a pornografia com olhos de criança que sempre vivam as Crianças... O que os homens fazem com o falo? O falo tem o tamanho do burro que carrega ou leva a carga... 

Os ecos são partes de Narciso a origem caminha nas margens a origem 
está nas raízes... no rio... A Poesia não caminha no só... está nas linhas das Biografias dos autores (des)conhecidos nas cidades entre as gravuras na íris das horas entre horas percorre morros palafitas palácios nos templos internos não perde tempo com críticas escreve. Está inscrita
 injeção subcutânea é o ópio do Povo que a acompanha caminha incessantemente como as formigas que não descansam nem de noite
 nem de dia tece teias como as aranhas assina e sacramenta a sina ensinando a todos que não vale a pena se suicidar segundo Mario
Quintana no Caderno H "Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer é porque um dos dois é burro" [Trágico Dilema] ...entre o abstrato olhando o chão concreto... formigas não matam plantas querem apenas se alimentar a Poesia da Cura é verde e tem perfume de rosa faz curativos ouve os mortos os feridos estará sempre os vivos... Tudo azul no céu tudo azul no mar... entrando na colméia com toda a sua doçura Salve nossa Mãe Salve a Poesia Água pura e cristalina eta barulhinho bom das cachoeiras...


São Paulo, 12.X.06 (Dia de Nossa Senhora e Dia das Crianças)
 

"Quando se lê a vida com poesia: distâncias diminuem"
(Rosangela_Aliberti)


Fotografia da colméia de 
origem desconhecida



Enviado por Rosangela Aliberti em 12/10/2006



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras