Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Meu Diário
11/06/2014 06h00
TUDO É HARMONIA - Hugo Lapa

TUDO É HARMONIA

Para cada lágrima, há sempre um conforto,
Alguém para enxuga-la.

Para cada mal, há sempre um bem,
Siga confiante.

Para cada ignorância, há sempre a sabedoria,
Procure se instruir com os mestres.

Para cada término, há um novo começo,
Tudo se renova.

Para cada desespero, há sempre uma luz surgindo,
Não perca a fé.

Para cada descida, há sempre uma subida.
A vida oscila, mantenha-se sereno.

Para cada vazio, há sempre algo para preencher,
Não mendigue afeto.

Para cada erro, há sempre um conserto,
Tudo se aprimora.

Para cada doença, há sempre uma cura,
A dor é sempre aliviada

Para cada tombo, há sempre um apoio para se levantar,
Confie em ti mesmo.

Para cada perda, há sempre um ganho,
A transformação é constante.

Para cada morte, há sempre um novo nascimento.
Renascendo do corpo e do espírito,
E caminhando rumo ao infinito, a eternidade, a Deus.

Autor: Hugo Lapa

*

(mandala: Marcelo Dalla)


Publicado por Rosangela Aliberti em 11/06/2014 às 06h00
 
11/06/2014 01h00
Alma das borboletas - rosangela aliberti

I

Outono-inverno...
pouco importa a queda
das folhas
[visto-me de Primavera

II

O que poderá te segurar?

se és suave e forte 

tal qual o Vento 

e tens o furta-cor,

nas asas soltas do... Ar.

rosangela_aliberti
São Paulo, 29 & 30
mar/07

https://www.youtube.com/watch?v=P1wE405sAfw


art by Josephine Wall


Publicado por Rosangela Aliberti em 11/06/2014 às 01h00
 
03/06/2014 22h00
Stop! Dimentica - Tiziano Ferro

Uno sguardo che rompe il silenzio
uno sguardo ha detto ciò che penso
uno, uno sguardo
uno sguardo può durare un giorno
la partenza senza mai il ritorno
uno, uno sguardo

Tutto ciò che so, te lo dirò
e tutto ciò che non sai
dire spiega il mare.
Sento qualcosa di grande,
più di questa città
La bugia che rompe ogni silenzio
è la bugia che dico solo se non penso
ti prego non fermarti proprio adesso
perchè dopo non si può

Stop! Dimentica
questo silenzio,
non vale neanche una parola
nè una sola e quindi,
Stop! Dimentica perchè
e tutto il resto andrà da se
dimenica perchè
dimentica per me.

Una storia grande come il mondo
una storia lunga tutto il giorno
una , una storia
una bugia di una parola sola
è la tua più affascinante storia
una, la tua storia

Stop! Dimentica
questo silenzio,
non vale neanche una parola
nè una sola e quindi,
Stop! Dimentica perchè
e tutto il resto andrà da se
dimenica perchè
dimentica per me.

Stop! Dimentica
questo silenzio,
non vale neanche una parola
nè una sola e quindi,
Stop! Dimentica perchè
e tutto il resto andrà da se
dimentica perchè
dimentica per e,
tutto ciò che so te lo dirò
e tutto ciò che non sai dire spiega il mare
ti prego non fermarti proprio
adesso perchè dopo non si può

Stop! Dimentica
questo silenzio,
non vale neanche una parola
nè una sola e quindi,
Stop! Dimentica perchè
e tutto il resto andrà da se
dimentica perchè
dimentica per me.

Stop! Dimentica
non vale neanche una parola
nè una sola e quindi,
Stop! Dimentica perchè
e tutto il resto andrà da se
dimentica perchè
dimentica per me.
Stop! Dimentica!

Album: "Nessuno E' Solo"
(2006)


Audio-video: Stop! Dimentica
http://www.youtube.com/watch?v=WpyFgCQX7YY


*

...piu:

Tiziano Ferro - Ti voglio bene

Tiziano Ferro - Sere Nere

Tiziano Ferro - Non me lo so spiegare


art by Jacek Yerka

 

 

 

 


Publicado por Rosangela Aliberti em 03/06/2014 às 22h00
 
01/06/2014 18h00
Paz aos Orixás / A sorte pertence ao Destino / ALARGAMENTO DO OLHAR

“Lavamos os mortos, Lavamos o tabuleiro das idéias antigas (...)” ~ Murilo Mendes.

Paz aos Orixás...

Se tudo que está entre o Céu e a Terra vem da mesma Grande Energia, por que tanta corda para a angústia? Tem gente que só de ler: “macumba” quer MATAR o diabo (Claridade DEMAIS nunca deu pé), todos tem um lugar certo no seu degrau, tudo está no lugar. Dar um nó na cauda do sêo diabo, é escutar amorosamente: - Quem tem tempo para andar no Bem, terá medo de quê?

Se a Tropicália é deles, receios são dos descrentes da Fé (preencha/m-se de LUZ).

Se um dia estiver muito frio... e algum "crente" só vir o inferno em frente, e o sangue ferver... é sinal que a memória do passado chegou bem rápido ao recente.

Paz aos orixás... para abrir trilhas nos caminhos das trevas (nem todos são escolhidos e possuem a humildade para trazer a tranquilidade aos corações mais duros), onde houver leitos em Hospitais e Casas do Caminho que se preocupam em curar apenas o mesmo "tipo irmão", é sinal de exclusivismo e vaidade, a intuição (me diz) para desviar daí e se elevar... o que importa é a alma repleta da Coragem e da LUZ!

O sol brilha para todos (apesar de nunca ter posto os pés nesta vida num terreiro), meu carinho e respeito aos Orixás!

rosangela aliberti, jun/2014

..............

[A sorte pertence ao Destino]

Miçangas e fitinhas
- De múltiplo colorido!!!
veículos necessários
para a canalização
de energias (de alguns...)

Se há atenção é
nitida_mente
mínima,
para contas & amuletos...
é o caso de meu gato
que rola sua bolinha
(sem quebrar
estatuetas alheias).

rosangela aliberti
jun/2014

...................

ALARGAMENTO DO OLHAR

Vejo Poesia
em toda vida,
me livrando de coisinhas
bestas.
Preconceitos aqui?
Só se for lá...

no ralo.

rosangela aliberti
Atibaia, jun/2014


Publicado por Rosangela Aliberti em 01/06/2014 às 18h00
 
28/05/2014 11h08
Pedra Filosofal - António Gedeão

Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho 
é uma constante da vida 
tão concreta e definida 
como outra coisa qualquer, 
como esta pedra cinzenta 
em que me sento e descanso, 
como este ribeiro manso 
em serenos sobressaltos, 
como estes pinheiros altos 
que em verde e oiro se agitam, 
como estas aves que gritam 
em bebedeiras de azul. 

Eles não sabem que o sonho 
é vinho, é espuma, é fermento, 
bichinho álacre e sedento, 
de focinho pontiagudo, 
que fossa através de tudo 
num perpétuo movimento. 

Eles não sabem que o sonho 
é tela, é cor, é pincel, 
base, fuste, capitel, 
arco em ogiva, vitral, 
pináculo de catedral, 
contraponto, sinfonia, 
máscara grega, magia, 
que é retorta de alquimista, 
mapa do mundo distante, 
rosa-dos-ventos, Infante, 
caravela quinhentista, 
que é Cabo da Boa Esperança, 
ouro, canela, marfim, 
florete de espadachim, 
bastidor, passo de dança, 
Colombina e Arlequim, 
passarola voadora, 
pára-raios, locomotiva, 
barco de proa festiva, 
alto-forno, geradora, 
cisão do átomo, radar, 
ultra-som, televisão, 
desembarque em foguetão 
na superfície lunar. 

Eles não sabem, nem sonham, 
que o sonho comanda a vida. 
Que sempre que um homem sonha 
o mundo pula e avança 
como bola colorida 
entre as mãos de uma criança. 

António Gedeãoin: Movimento Perpétuo

art by Michael Parkes


Publicado por Rosangela Aliberti em 28/05/2014 às 11h08



Página 13 de 784 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » «anterior próxima»

Site do Escritor criado por Recanto das Letras