Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


O Todo relativo & os mundinhos superficiais


É muito fácil entoar cânticos no céu quando todos anjinhos estão por lá tocando suas harpas... como também é muito fácil se enfiar em um grande fosso junto aos demônios quando todos se encontram numa balada infernal.

Esta história é para camaradas que tem algo muito bom dentro de si e passam a vida toda com medo de encarar este lado bom ou gastando muita energia, brigando com o que está bom...

Assim como também serve muito bem para os irmãos que tem algo ruim (mais muito ruim) e viram a grande maioria das páginas na vida: fugindo, ironizando, julgando e jogando as representações do “lixo” do lado do muro da casa alheia, como se fossem apenas os outros que escrevessem em cima das linhas tortas, forçando um ar angelical.

No fundo é sempre uma grande experiência ver como os anjinhos recebem e acolhem um demônio em seu céu particular, bem como apreciar o que os demônios são capazes de fazer com um anjo em seu honorável cafofô.

Máscaras estampadas no rosto são quase eternas, porque podem enganar: uma, duas pessoas, uma legião, no entanto nunca traem a si próprias... a loucura é ser careta até o ponto em que se possa se distinguir as caretas e separar o careta dos seres realmente caretésimos. Toda e qualquer careta encobre um significante com seus significados.

No fundo ninguém converte ninguém, no fundo nem tudo é tão divertido quanto se possa aparentar... bem no fundo o buraco é sempre muito mais embaixo do que se consegue imaginar...

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 28.VII.08
Foto: Ellen van Deelen

 

 

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 28/07/2008
Alterado em 02/08/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras