Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


A Mexicana

A cada instante mais distante...
da bruma... que passou...

Como foi que tu desprendeste do casulo?
como poderias produzir o fio da seda,
circunferenciando aquelas folhas?

Tu, que nunca apreciaste
o frio do inverno
que não fedia nem cheirava 
                         verdejante
nasceste para voar na primavera
como teus encantos poderiam zunir
girar e girar... naquele inferno?

Cheia de saudade das nogueiras
desencantada findou exausta
pobre rameira,
ao lado de uma candeia acesa
naquela noite em que a lua não despertou
 
Ali jaz
mariposa-luna  
morta e esturricada.


Rosangela_Aliberti
São Paulo, 19.XII.08

*

art by Wescleyb
rabiscos, desenhos, ilustrações
e outras cousas...

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 19/12/2008
Alterado em 22/01/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras