Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Meu desejo, (não apenas) em oito de março
 
À quem me lê
 
Dia oito de março de mais um ano, a origem desta data para mim ainda é duvidosa, li que o “primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado em 28 de fevereiro de 1909 em USA, por iniciativa do Partido Socialista da América, em memória do protesto contra as más condições de trabalho das operárias da indústria do vestuário de Nova York” no entanto nada encontrei que confira estes dados, uns dizem que é por isto, outros por aquilo outro...

Homenagear uma mulher pode vir em forma de um abraço; um poema sempre será bem-vindo, e pode apostar que poderá ter o gosto de papel desembrulhado com a rapidez de quem quer descobrir logo o segredo no interior de uma caixa.

Quer coisa melhor do que um presente simples, fora das datas consideradas especiais? ...pode ser até um bombom barato, um bilhetinho carinhoso com ares dos desenhos de crianças bem pequenas que sabem como se abre sorrisos; a homenagem poderá vir também através de um origami confeccionado em nossa frente, e acenderá uma luz em nós tipo aquelas de abajur com néon, um olhar nos olhos de “te quero bem” sem o receio de parecer “babaca”, tudo pode ser sentido como válido como quem espera a reação ao ver um outro receber uma ou mais flores.
Falando em flor, flor que é flor julga a beleza de uma outra?! Muita gente ainda não percebe como as vibrações são construídas, tudo tem um perfume, não existem mentalidades em preto e branco que não cheiram nada.

Aah! as almas tem perfume, sim... e dependendo de quem doa a tal “flor” poderá se tornar uma rosa sem espinhos! ...existem pessoas que capricham nos tons além do “champagne”, há pessoas que exalam fragrâncias suaves, como os jasmins. 

Por que escrevo isto hoje? Talvez em busca da valorização do universo feminino, considerado tão sensível (desconsiderando planfletagens nos  excessos do "Feminismo") sei que existem pessoas anônimas que se preocupam com o bem estar de outrem desinteressadamente, não apenas mostrando o seu melhor para seus filhos ou amigos... Grandes mulheres não precisam de dinheiro para se entregarem às boas ações, muito dinheiro não compra amizades nem fornece status real, feliz é a mulher que planta boas palavras e estas voam da boca como as asas de borboletas... tanto borboletas como mariposas sugam néctares.

Toda  mulher merece respeito e isto não ocorre da boca pra fora, pois são as atitudes que marcam pontos positivos, e tudo tem início na mente. Toda Grande mulher com o tempo vai descobrindo o caminho do meio da compreensão, enquanto algumas invejam outras admiram, faz parte do amadurecimento investir no auto conhecimento (senão se pode torcer por algo de bom para outro alguém não seria melhor provocar um afastamento?). Ninguém é perfeito, mas o que nos impede de subirmos um degrau... se a vida ensina a não desejarmos aos outros o que não gostaríamos para nós mesmos? Neste ponto uma mulher bem que poderia ser um exemplo no lar: tantas se preocupam em enfeitar suas casas, quais criam a disposição para ornamentar o coração? Tantas distribuem sorrisos apenas aos seus, trocam as melhores receitas apenas com os seus... sendo que os pássaros continuam acordando a todos com  sonoros “bem-te-vis”, oxalá as mulheres não se esqueçam que a feminilidade está no olhar interno agradecendo com um “muito obrigada” claro tal qual o sol, àqueles e aquelas que lhes ensinam o auto burilamento "na marra"; sem pretensões, você sabia que toda mulher pode brilhar mais do que uma jóia? Alegrar o ambiente como uma verdadeira flor humana por aí afora e no mundo da virtualidade, não é para bobas nem candidatas à santas. Com diria Shakespeare o escritor: "Que tuas palavras ilustrem teu comportamento e teu comportamento, tuas palavras." 

Amanhã por exemplo, será dia nove, passado o Dia Internacional da Mulher... quem irá continuar o cultivo dos elogios espontâneos à uma mulher? Quem irá enxugar alguma lágrima? Oferecer um copo d’água, com energias curadoras? Fazer um telefonema a uma velha amiga viúva? Estimular outra pessoa a tomar coragem para isto ou aquilo? (mesmo que indiretamente), não basta dar passagem para uma mulher na hora do “rush”, talvez seja preciso desconsiderar a competição que não leva a nada, nem todos chavões considerados como verdadeiros pela maioria, servem para ser seguidos. 

Temos oportunidade de semear no cotidiano pequenas gentilezas... se mulheres são guerreiras, por que não se ater aos próprios aspectos negativos?!
Sim toda mulher tem um sexto sentido, que possa ser usado para derrubar preconceitos, não levar adiante fofocas, optar por um maior respeito as opiniões da individualidade de cada ser, cada um dá o que tem... não se pode tirar água de pedra, independente de: cor, nacionalidade, religiosidade ou não, escolhas no que se refere a sexualidade, partidos políticos... são as mulheres bem cuidadas (por dentro), as mais aptas a alicerçarem mundos plurais...

Oito de março, na folhinha não passa de um lembrete. Melhor(es) dia(s), Mulher!

Rosangela_Aliberti
Atibaia, oito de março de 2012

arte1: capa de CD Pink Floyd
 
 
 
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 13/03/2012
Alterado em 17/06/2012


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras