Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Homenagem

Compadres e Comadres
a homenagem
é a expressão do cheiro da ausência
é a comprovação do valor da saudade
de algo que tocou no espelho

Hora de Glória...
na entrega da chave da cidade

Há horas e dias que os recados
abusam na intertexualidade
nas entrelinhas  
entre anunciações
entre meias-palavras 
desaparecidas ou 
nas epígrafes repartidas
oferecidas
a_parecidas 
entre a vida e a morte
“se ficar o bicho come_rá,
se correr o bicho pega_rá...”

Para alguns um rastro
relativo de qualquer Homenagem
nunca incomodará
a pedra no telhado
nos tetos que brilham como vidraças
(é a prova da cor da mão
que movimenta a alma) 

A retirada das flores
nas pedras é a tática no:
“bater em retirada”

A Homenagem em vida
é a marca da Coragem
da língua que não oculta 
o prazer da crítica ácida
o sabor pela crítica construtiva 
ou o calor quente dos apertos de mãos...

Lírios brancos ofertados
bandeiras brancas sacudidas
no brotar e no enfeitar da paisagem
o falso juri não têm idade
(absorto no eu mais eu somente eu...)

(Ah! As homenagens para
a Sociedade dos artistas "mortos..."
nestas horas inimigos
saem das tocas mais convictos
velhos amigos são re-descobertos
no mundo dos ...anti-heróis & heróis)

Se os olhos porventura
retirarem uma Homenagem
ou foi, ou é ou será
um sinal
que alguém quis...
acreditou que mereceu
ou teve que ficar muito bem guardado
permanente_mente (?)
por ter se ressentido 
por medo dos gozos não serem somentes seus
por ter perturbado... estruturas pífias
pela simples vontade de jogar
o caxangá no esconderijo
por ter que sido diluído
por ter que ser passado batido
por alguma fatalidade do destino...
pode ter divagado em um amor imaculado
por ter se sentido mal amado
restando a leve sensação
do aroma de bife bem passado
idealizado demais ou mal retratado
um dia a imagem irá se dissolver
com certeza... em algum sorriso
em alguma lágrima
Por ódio! Puro despeito!
Ou excessiva Paixão
será que tudo não recai_rá em...
- "um por todos e todos por um?"
(sempre se tornarão UM... ou será que não!?!)

Se os olhos não tecerem uma linha por extenso
a respeito 
não é que a pipa não (conseguiu) subir 
o pára-quedas pode... não abrir,
o barulho que movimenta a chama do gás hélio
no balão
não passa de um conceito (PESSOAL) 

Não, não é porque o confecciona_dor
não utilizou as varetas e os papéis de seda 
correta_mente, mas sim, (construtivamente)
porque as emoções 
preferiram se manter no chão
cegas, mudas 
ou simplesmente (de)penduradas
em suspensão
no
ar... 

Um pouso forçado, uma falsa homenagem
Um olhar indiferente de quem desdenha quer comprar...
(Badalações ...adulações insuflam o ego)

A visão de admiração inocente e franca
apenas os olhares de quem se mantém criança comovem

Aplausos que roubam a cena
rosando as palmas das mãos
nos corações a flor-da-pele...

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 16.II.07
Arte Magritte 

Especialmente a quem 
dediquei algum texto
e por força maior,
tive que retirá-lo...
&
Especialmente 
a quem dedicou alguma 
homenagem a minha pessoa
e de uma hora para outra 
sumiu... "misteriosamente"
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 16/02/2007
Alterado em 20/02/2007


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras