Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


CâMBIO PONTO FINAL

se um canto encanta
existe "T" em algum canto
outro canto desencantará
daqui algumas d é c a d a s
logo
não existe canto que encante
os pensamentos de Descartes
encantam há tempos
soros-antiofídicos
enchem os sacos dos aflitos
este 'ser ou não ser'
é... um dos ossos dos ofícios mais do que duros de roer
penso logo existo
peno por existir com teimosia
ei você?
por que escrever?
para que escrever?
a fratura está exposta e s m i u ç a d a
de baixo para cima de cima para baixo
correndo nas laterais na diagonal da medi"T"ação
percorrendo as transversais dos versos
uma ou duas frases dão vida ao intertexual
os cacos desencantando
o descaso mora ao lado
casou e não separou
cê-parou?!
eu jogo verde e tu amarelas... nas entrelinhas
(e se eu quiser misturar os pronomes pessoais
ninguém tem nada a ver com isto?!)
o desencanto é FERA gera insônia azul royal
tantas reticências para nada...
nada... nada... nada... nada...
= a nadar e morrer na praia
não tem nada não...
nada de novo
debaixo da ponta da língua verde-amarela
a não ser na linha que vejo
não toco o Equador
nada de novo
ao sul ao norte ao leste ao oeste
um fato consumado central
se alguém rima
outros tocarão nos cravos eruditos soltos
atrás do patriotismo tocos de madeira... nem se forem ocos
Renoirs se transformaram em esqueletos...
e o ´cangaço´ acha isto tudo très jolie*!!!
tudo vem sendo decantado politicamente
corretamente arcaíco
mente quem diz que mente não é um dos advérbios mais chatos
p o e t i c a m e n t e até Ferreira Gullar  virou a 'casaca'
depois do dito pelo não dito
o dito virou ditado na boca de mais um dita(dor)
tudo já foi escrito nas estrelas
tu és 'o avesso (do avesso do avesso do avesso do avesso')
Alguém deu origem ao Apocalipse Now
qualquer poesia virará um óbvio mais do que banal
e
certamente alguém irá afirmar
estarei redondamente enganada... daqui a um minuto
revisão geral
CâMBIO (.)

Nota do francês:
très jolie = muito bonito*



São Paulo, 18.VIII.05
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 18/08/2005
Alterado em 22/08/2005


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras