Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


frutos no chão dos pomares

I

frutos no chão dos pomares
trator sobre bougainvilles
lágrimas em busca da última raiz
nas mãos daquele seringueiro
sei que o Amor transbordava 
era uma segunda-feira
de triste paisagem
onde máquinas dividiam glebas
desconhecia o verde líquido das ninféias
nos movimentos circulares nos lagos
o sol na lama entre poças
o amarelo junto ao vermelho de Gauguin
um eu alaranjado mirante de Mirós

afloram pesadelos sonhos e velhos contornos
na janela da memória
ao ver a dificuldade míope
o coração apertava ritmos musicais 
no caos
sem terra
o azul se transformava em Luz no teto

nem todo berço nasce traduzindo Victor Hugo
antes de passar a ler um poema bem Brasileirinho
sei que continuo segurando a bandeira de Delacroix
com um pé do tamanho do ABAPORU.


II

no xadrez em preto em branco
não me recordo...
quando pari
meus primeiros versos?
tronco não é galho
galho não é folha
folha não é fruto
fruto é ou não é semente... 
cozinho substantivos
a insaciabilidade humana
é inquestionável

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 02.V.07
 
Arte Tarsila Amaral

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 03/06/2007
Alterado em 09/08/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras