Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


Certos homens fazem de tudo um pouco para provocar um "desetresse" porém, será que todos entendem...?!

Tenho uma coisa prá contar, por enquanto é coisa porque ainda não pensei no título que irei dar... Certa vez um amigo me enviou uma de suas letras, (muito bem cantada por sinal) resolvi não dar atenção para a voz e me prendi a letra, porque de modo geral as pessoas destacam mais as cigarras do que os riscos das formigas. Se um cantor famoso interpreta alguma  música, sendo co-autor geralmente os louros ficam evidenciados para a voz... no caso, não sabia que o compositor era o mesmo que o cantor e não perguntei de quem era a voz, quando recebi o arquivo de som. “Segue o seco...” (uso o termo quando o seco é cantado e interpretado por uma mesma pessoa).

Outro acontecimento me fez pensar em um amigo poeta, que tem por hábito declamar suas poesias em ocasiões que não são especiais... fora de saraus (nas mesas de bar) muitas vezes de forma espontânea ou seja sem um pedido formal dos amigos, um dia a família se encontrava próxima... e e a mulher dele e uma de suas filhas me confidenciaram que às vezes no meio do dia, o marido, o pai... o tal poeta dá um assovio na sala do apartamento e se põe a recitar seus versos  “às vezes no auge de suas interpretações se joga no chão, recitando como se estivesse em um palco do teatro” disse uma delas, e eu fiquei imaginando a cena, na veia daquele senhor ator... enquanto expunha o seu verbo na tentativa de algum “Fiat lux!” junto ao eco da platéia extremamente preocupada em descobrir qual seria o cardápio do jantar... divagando em como estaria a fila do banco às 15h30 nos caixas automáticos...?!

Tenho pai, este, quando chegou ao Brasil fazia aulas de canto antes de eu ter nascido... poderia ter se tornado até um bom cantor de pizzaria, resolveu não investir, no entanto no tempo da vitrola, nos anos 70 entre outras décadas se trancava no quarto (entre aspas) porque da sala se ouvia os gorjeios do seu gogó bem como as reclamações da minha mãe pois não estava conseguindo se concentrar no noticiário na TV nem na novela.  Papai acompanhava os músicos do Festival de Sanremo, entre outros... seus momentos de Glória estavam quando acabava a luz na gleba e nos ofertava suas canções a luz de velas ... e nos finais de ano na presença da família sempre arranjava um espaço para soltar seu repertório, (ninguém precisa ter nascido na Itália para se sentir bem cantando debaixo do chuveiro, eu mesma o faço às vezes). Recentemente visitei um de meus tio do coração e ele me disse: - Senti falta de seu pai neste natal porque como ele estava viajando não tivemos a oportunidade de presenciar sua seleção especial de música...

A princípio fiz juz a um velho ditado: “Casa de ferreiro, espeto de pau” ao pensar “é que titio não está todo dia na sua casa... para sentir na pele: - “Os venha ver, os venha ver”...!”  depois refleti: - Será que todos que tem em casa um talento mesmo que não seja considerado “Celebridade” dão um devido valor a seus shows particulares? O pai de uma de minhas amigas pinta montanhas na parede... uma amiga decora sua casa com faianças coloridas, um vizinho sem ser paisagista constrói seus pequenos jardins...

Certos homens fazem de tudo um pouco para provocar um "desetresse" porém, será que todos entendem...?!

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 28.VII.07
Arte: “Uma assinatura pode valer mais 
...quando muitos pensam.” 
www.amnesty.fr

Sugestão de vídeo:
Human Rights - Amnesty International
http://www.youtube.com/watch?v=rwnnOK3hP2Q

 

 

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 28/07/2007
Alterado em 28/02/2010


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras