Rosangela_Aliberti

"Se a Arte tocar em algum ponto do homem é sinal que alcançou seu objetivo" (r_a)

Textos


"ART NOUVEAU" 

...Quando tinjo os cabelos como quase toda maioria dos bons homens, papai nunca repara: - Pai, eu pintei os cabelos.

- Hã... "enton esta più bello!!!"
Sempre quando tinjo os cabelos minha mãe sabe quando eu os pintei:
- Você foi a que horas no cabeleireiro??? (voz fina de mulher)

Minha mãe é uma “figuraça rara”.
Ontem mesmo mamãe me disse: - Nossa a cor do seu cabelo está TERRÍVEL, minha filha você está horrorosa, etc e tal....!!!
Naquela noite meu pai ficou olhando para mim: - Você pintou os cabelos!?! Está uma JÓIA, filha você nunca esteve tão linda esta cor-de-fogo caiu muito bem...!!! (voz grossa de homem).

Meu pai é uma “figurinha carimbada”, pois bem, "se algum ele" gostou pode ser que outro alguém goste no dia que os cabelos estiverem como agora... "pegando fogo" sem o excesso de tintura do início do mês corrente.
Tsc, tsc em qual dos palpites confiar? Por hora em determinados momentos prefiro o tom de uma opinião que pense objetivamente como um homem (sendo verdadeira ou não), o pensar masculino sempre tem um objetivo e muitas vezes é mais objetivo... homens dão cortadas, a língua da mulher é uma raquetada. Ó dia! Depender de elogios do mundo externo para se sentir melhor, para quem damos o poder de nossas emoções...? Se não for para nós mesmos é sinal que algo não está caminhando tão bem... 

Têm coisas que são tão pequeninas alargando a dimensão do olhar ao redor... (você nem precisa necessariamente viver entre os corredores dos hospitais). Há pessoas que perdem os cabelos em tratamento médico e ficam tristonhas, outras passam por lutos considerados menos intensos, o tamanho da dor não pode ser avaliada por outro... a dor do outro não deveria se misturar a nossa... tem pessoas que não dão valor aos momentos de dor do outro e outras não se preocupam com probleminhas... algumas não separam os movimentos de hipersensibilidade, ninguém precisa ser gênio para reparar que estou girando em torno da palavra: auto estima. Quem está em um bom momento de auto estima dificilmente ataca a confiança de outro alguém. 

Veja bem com o passar dos anos quanto mais as dores são acumuladas maior a formação de 'bolas' de amargor.
Por que as pessoas se prendem a beleza exterior ou fatores que geram status se são estímulos que reforçam falsas alegrias vindas de fora para dentro?
 
Penso na Art Nouveau... sem aceitação e nenhuma referência por parte do impressionismo e sem nenhuma preocupação em reformar a sociedade, o que é pensar como um "naturalista abstrato"? Nada nasce do nada na luta da renovação dos ambientes internos: "O edifício mais nobre será aquele que a um olhar inteligente revelar os grandes segredos da infra-estrutura, como o revela uma forma animal, e que um observador negligente não poderá deixar de ver." (John Ruskin). 

Conclusão: Sou parte de cada figura hoje representada na forma de linguagem por aqui, neste arabesco, você não está lendo um mero papel, você está tendo contato com a produção interna passada no papel. A escolha das palavras vai de acordo com a necessidade da escolha dos contrapontos a serem pesados em um determinado instante; a verdade para alguns precisamente possui cores diversas, bem como a sinceridade rasgada às vezes é ditada em horas incertas e a verdade que é de um nem sempre é A lei.

Bingo, me perguntarão hoje como posso misturar tantas trilhas sonoras? Por que faço uso de "estrangeirismos"?! Por que me preocupo com pesquisas? Porque estou a fim... e o que me faz sentir bem, é um bem para mim, que talvez só eu mesma saiba o valor que tem.

Cada enfoque dado sobre a Arte caracteriza a ruptura e a influência daquilo que  estava em voga, correto?! Poderia ter escolhido um outro movimento interno como o  “modernismo” ou o “cubismo”... mas hoje ao me ver diante de uma arquitetura esta me remeteu a algo que não apreciei, me encontrei no nada... por que rejeitei tal forma?  Por que meu pai notou que eu estava precisando me sentir mais bonita por fora? Por que minha mãe não gostou de tal movimento? Por que naquele momento me senti tão frágil?
Vi do concreto uma palavra nascer, como  se fosse um edifício e procurei imaginar o que é sentir um “velho objeto decorativo” ... decorativo? Sim, há pessoas que manipulam materiais orgânicos contudo  não se sentem as formas das palavras, com isto não mergulham dentro de um quadro. Gostaria que flores e cisnes se integrassem no lago do cotidiano, gostaria que as frases formassem um dos mais belos mosaicos... como a voz de um povo que se uni ao repelir ou admirar um mesmo cartaz, para se ter tal alcance a idéia tem que ser rejeitada ou aceita entre vários povos... uma arte nova com abrangência "inter_nacional". Gostaria que no ferro e no vidro, o verde estivesse imprimido, renascido do floreado sem “floreios” e sem florete apesar de Mucha ter desenhado uma famosa Dama com uma adaga na mão... gostaria que mais de um olhar de espanto fosse (re)visto, trazendo um ponto vivo de interrogação como o da cor amarelada, apesar dos olhos terem sido desenhados em preto, branco e azul ...pastel, uma só palavra contem conceitos previsíveis, uma só palavra pode trazer dúvida, curiosidade... pode revigorar um rabisco no cimento, pode dar sentido a uma “Nova Construção Artística”, pode fornecer outro tipo de beleza a curva, meus cabelos tem curvas como o balanço das anêmonas no mar, não se tornam ruivos a toa, podem me considerar amadora, sei que também com isto renasço e me refaço no tempo, novas linhas sempre surgirão, toda crítica é bem-vinda e desta se pode ser tirado algum proveito. A Arte e mãe e é madrasta, não podendo ser explicada por uma só pessoa. Olhe para um quadro, desta "belle époque" e este possuirá mil definições: um sonho? uma cópia de uma foto? o que é o surreal? O que está_vendo no seu vitral... o que está de costas? De frente...

Um trabalho tem a capacidade de destruir, corromper ou elevar, o escape está em humanizar nossa própria Natureza. Não apenas com o alaranjado das tintas mas com a presença de novos materiais pincelados, que dele vai brotando um perfume por exemplo alaranjado.
Não apenas com o alaranjado das tintas mas com a presença de novos materiais pincelados, que dele vai brotando um perfume por exemplo alaranjado.

Bailarinas não são lixo. Por que algumas mais velhas sentadas na mesa de Lautrec são donas de um olhar embriaga_dor? Embriagam ou estariam embriagadas? Por que se embriagariam...? Gostaria que dos cartazes de Klimt saltassem um outro olhar, interior que estimulasse a vontade de acarinhar, beijar... não estou falando de um olhar mal feito de peixe morto enfocando a sensualidade no sentido banal (o olhar de beijo que não sabe nem porquê se está beijando).

Creio que estamos mergulhados em uma sopa de culturas e dela podemos retirar o melhor de cada sabor.

Quando o passado contido nas gavetas surge como uma das damas antigas das quatro estações de Mucha se misturando ao presente, me pergunto: ao apreciar partes da História e adaptá-las a um sentimento atual não estaria utilizando o instintivo que está registrado na memória,  preservando animais acuados, perdidos, medos e pequenos monstros no meio das florestas... procurando a saída do incêndio, indagando quem colocou fogo por lá. Um vitral a me olhar (ao meu olhar) é uma viagem! Não é a toa que o simbolismo simpatizava com luz a vertente da art nouveau.

Quer saber? Uma obra de arte pode sofrer alguns arranhões com o tempo porém nunca deixará de ser considerada uma obra. Depois de organizar os textos internos: a aparente perda da tonalidade natural da tinta que passei no início do mês fica com o TANTO FAZ. Quem se conhece tão bem?

Rosangela_Aliberti
São Paulo, 10.XI.05
art by Mucha

 
 

 

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 11/11/2005
Alterado em 13/04/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras